Inventando pequenos mundos: agenciamento e (de)composição em tempo real

O projeto, atualmente em work in-regress, é concebido por Rodrigo Fischer em colaboração com músicos, programadores, designer, cineastas e artistas visuais para criar um trabalho polifônico e multidisciplinar a partir do agenciamento entre imagens, sons, luz, objetos, corpos, textos e novas tecnologias. A proposta é de criar dispositivos que permitam fazer composições em tempo real por meio de sua interação entre velhas novas tecnologias. A proposta é de desenvolver projetos com diferentes narrativas em tempo real. Embora o dispositivo tem sido criado para ser executado principalmente para pequenos públicos, ou seja, realizado em casas, galerias, estabelecimentos ou mesmo em tendas montadas nas ruas, a estrutura é também pensada para ser apresentada em teatros convencionais.

Inventando pequenos mundos: agenciamento e (de)composição em tempo real é um projeto multidisciplinar com ênfase no aspecto teatral e audiovisual propondo uma experiência sensório-narrativa para microplateias. Uma proposta intimista e atravessada por uma poética que busca novos modos de existência a partir do agenciamento entre objetos, corpos, miniaturas, imagens, sons, luz e micro-narrativas. Por meio de uma perspectiva e não hierarquizada entre pessoas, animais, natureza e coisas, a proposta é de pensar novos modos de existências. O ponto vai desde o estudo de cosmologias ancestrais até cosmologias utópicas que ultrapassem perspectivas antropocêntricas.